Três mentiras que as mães acreditam

Por Tathiana Schulze

Primeira mentira: Edificar a próxima geração não é um trabalho importante

Existe uma mentira, um engano profundo que diz que o cotidiano de cuidar de uma vida, de uma família, não é algo importante. Embora jamais tivesse dúvida sobre a importância do meu trabalho dentro do lar, ainda assim as constantes indiretas e sugestões de que eu, uma mulher que “abandonara a carreira”, não estava feliz sendo “simplesmente uma mãe” incomodavam. Com isso, pude entender o motivo de tantas mulheres se sentirem frustradas, humilhadas e menosprezadas.

Percebi que cuidar de uma criança, ensiná-la no caminho da verdade, preparar uma refeição para ela, trocar fraldas, preparar um ambiente de amor e segurança emocional não é suficiente para a sociedade que nos cerca, posto que, para essa sociedade, esse papel deveria ser relegado a alguém menos preparado, menos competente. Isso fica claro quando nos perguntam: “Qual a sua profissão?”, visto que coloca em palavras o entendimento silencioso sobre o que importa e o que não importa para as pessoas em nossa contemporaneidade. Mas experimente descuidar da educação de um filho e ele se tornar um problema social! Aí, rapidamente, a mãe poderá ser acusada de negligente, de despreparada e coisas do tipo.

A mentira, portanto, é que a nossa missão como pais e mães é irrelevante, mas a verdade é que essa missão foi estabelecida pelo próprio Deus, pois além de importante é rica e abençoadora: “Que todas estas palavras que hoje te ordeno estejam eu teu coração, tu as ensinará com toda perseverança e zelo aos teus filhos” (DEUTERONÔMIO 6:6, KJA – ÊNFASE ADICIONADA).

 

Segunda mentira: Crianças e adolescentes são um fardo

O Senhor tem colocado esta advertência em meu coração: “Olhe para estas crianças, olhe para esta geração. Sinta compaixão por elas, tenha compaixão. Elas andam perdidas, aflitas, desorientadas, confusas, como ovelhinhas que não têm pastor”.

Você já pensou em como vive uma ovelha sem pastor? Ela é presa fácil para os predadores e certamente não resistirá por muito tempo. O interessante de se observar nessa passagem de Mateus, é que quando Jesus olhou para a multidão, Ele não viu ovelhas rebeldes, desobedientes, fujonas ou que gostavam de se meter em problemas. Ele viu ovelhas sem pastor. Ele viu a multidão perdida e sem a direção de um pastor. A falha, no entanto, não estava na ovelha, estava no pastor que não estava presente cumprindo a sua função.

As nossas crianças e adolescentes precisam desesperadamente de alguém que os guie, que os oriente nessa longa jornada chamada vida. As nossas crianças precisam desesperadamente de alguém que esteja disposto a não fazer o que é mais fácil, mas o que é requerido. O Senhor nos deu a responsabilidade de amar, cuidar, de guiar e estabelecer um fundamento para elas no futuro que está às portas. Os nossos filhos, sobrinhos e alunos precisam de nós.

Como mãe, todos os dias quero reconhecer humildemente a importância do meu trabalho e aproveitar cada oportunidade que tenho para plantar boas sementes na vida dos meus filhos. Também quero estar atenta e disponível para plantar boas sementes na vida de outras crianças e adolescentes que cruzarem o meu caminho. Seja em uma sala de aula na igreja, seja em uma creche, seja na vizinhança, seja em um parque.

Quando consideramos a criança um incômodo, um impedimento para algo importante, não entendemos a necessidade de investir na vida delas. Somos movidos a mantê-las distraídas com eletrônicos e TV, pois todas as demais atividades que fazemos, como limpar, cozinhar, mandar mensagens para as amigas ou responder e-mails são muito mais importantes do que brincar de bola no jardim, ensinar nossos filhos a fazer um bolo ou ler algo juntos.

 

Terceira mentira: Estou ficando para trás.

Estou perdendo tempo, porque as minhas crianças exigem muito de mim e não consigo me dedicar a outras coisas como gostaria. Daqui a pouco será tarde demais!

Cada um de nós somos pessoas únicas, diferentes, vindas de experiências muito pessoais e vivendo momentos diferentes em nossas vidas. Lembra-se do que as nossas mães bradavam tendo o chinelo na mão quando a gente era criança? É a mais pura verdade: “Não importa se fulano, cicrano ou beltrano estão fazendo. Você não é eles e pronto!”. O que é o momento certo ou é uma excelente oportunidade para alguém pode não ser para mim ou para você. Como cristãos, somos pessoas diferentes vivendo circunstâncias diferentes com objetivos e chamados diferentes, e é o mesmo Deus quem faz isso em nossa vida (1 CORÍNTIOS 12:1-7). Theodore Roosevelt o disse muito bem: “A comparação é o ladrão da alegria”.

Muitas vezes estamos satisfeitas e felizes fazendo aquilo para o qual fomos chamadas a fazer, até que começamos a olhar para o lado (ou para o Facebook ou Instagram) e começamos a acreditar que estamos ficando para trás. Esquecemo-nos que nossa vida não deve ser guiada apenas por oportunidades, mas por propósitos. “Há caminhos que a pessoa considera corretos, mas acabam levando à estrada da morte” (PROVÉRBIOS 16:25).

 

Você acha que você está ficando para trás?

O horário da Califórnia está 3 horas atrás do que o de Nova Iorque, mas isso não faz a Califórnia “devagar”.

Alguém se formou aos 22 anos, mas esperou cinco anos para conseguir um trabalho em sua área.

Alguém se tornou o CEO de uma grande empresa aos 25 e morreu aos 50. Enquanto outro se tornou CEO aos 50 e morreu aos 90.

Alguém ainda está solteiro, enquanto o amigo já se casou.

Obama se aposentou aos 50 e Trump se tornou presidente aos 70.

Absolutamente todos nós nesta Terra temos um “fuso horário” diferente, algumas pessoas ao seu redor parecem estar na sua frente, outros parecem estar atrás de você.

Mas cada um está correndo sua própria maratona, no seu próprio tempo.

Não tenha inveja deles nem ria deles.

Eles estão no fuso horário deles e você no seu.

A vida é sobre o tempo certo para cada um.

Você não está atrasado, você não está adiantado.

Você pode viver no seu próprio fuso horário.

—AUTOR DESCONHECIDO

 

 

Mãe, acredite! Você não está perdendo o seu tempo quando precisa dizer “não” para algo ou alguém por causa de sua família . Não tenha medo de que outro funcionário seja mais bem-visto ou avaliado por sempre aceitar trabalhar mais horas do que você. Não se preocupe, pensando que a sua carreira estará acabada se você precisar diminuir um pouco o ritmo. Você não está ficando para trás quando se dedica à missão mais nobre que alguém pode ter: servir aos pequenos.

A Bíblia nos ensina que quando conhecemos a Verdade, ela nos liberta. Hoje não somos mais escravas da mentalidade comum do mundo que nos cerca. Podemos viver em liberdade — na liberdade plena, desfrutando a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.

 

Trechos retirados do livro Maternidade: presente ou fardo?, de Tathiana Schulze (Publicações Pão Diário, 2020).