Escrito por Karen Kwek

A escritora de longa data Karen aprecia a companhia de amigos, uma boa xícara de chá e ver o evangelho transformar vidas e corações. Ela trabalhou como editora de livros até ela e seu marido trocarem a paz e o silêncio pela paternidade. Parecia uma boa ideia na época. 

Aconteceu comigo de volta: um fim de semana prolongado prometia um dia extra de descanso, mas depois de uma pausa, eu estava me arrastando para fora da cama e não apreciando o início da semana de trabalho. 

Eu tinha descansado? Com certeza, os dias tinham sido cheios de atividades não-laborais: uma caminhada no parque, um momento de silêncio, uma visita a uma tia, fazer compras, jantar com amigos e Netflix tarde da noite! Então, por que eu ainda me sentia cansada depois de tudo?

Você também se sente, paradoxalmente, precisando de mais descanso depois de tirar um tempo para recarregar as energias? Por que nosso estilo de vida moderno tantas vezes nos priva do verdadeiro descanso, e qual é a ideia de descanso da Bíblia? Após buscar por algumas respostas ao meu dilema, aqui estão alguns lembretes aos quais cheguei:

Nossa tendência é pensar que descanso é qualquer coisa que não seja trabalho –  desde fazer nada até se comprometer com nossos passatempos favoritos. A verdade é que apesar de nossas atividades de lazer possam ser uma pausa do trabalho que fazemos, essas atividades tanto podem ser fisicamente cansativas em si mesmas, ou podemos buscá-las de uma maneira que nos deixa física, mental ou espiritualmente esgotados, em vez de revigorados.

Por exemplo, por mais que as férias no exterior possam ser uma pausa revigorante no trabalho, viajar pode envolver seus próprios tipos de estresse, desde combater o jet lag até negociar o choque cultural, contratempos inesperados, crianças pequenas chorando ou um itinerário agitado.

Além disso, as opções modernas de entretenimento podem deixar nossos corpos ilesos, mas nossas mentes superestimuladas. Com os serviços de streaming na internet, notícias digitais, redes sociais, serviços de e-commerce e muito mais, todos facilmente acessíveis, rolamos, clicamos, tocamos, deslizamos e apertamos “play” compulsivamente. Quer percebamos ou não, a sobrecarga de informações esgota a nossa energia mental. Nosso tempo é sugado e nossas mentes ficam cheias de informações e vulneráveis às mudanças de valores, tendências e opiniões do mundo.

Não é de admirar, então, que nossas escolhas de lazer não sejam verdadeiramente repousantes. Mas como é o verdadeiro descanso?

No Antigo Testamento, Deus ordenou ao povo de Israel que guardasse um “dia de descanso do sábado”. Foi um dia de descanso do trabalho, mas não foi simplesmente inatividade física; foi também um descanso para o Senhor (Êxodo 20:10). Ao descansar, os israelitas se lembraram e comemoraram que Deus os havia resgatado do Egito e que eles pertenciam a Ele. De fato, o descanso era um lembrete de que Deus havia separado Seu povo (Deuteronômio 5:15).

Além disso, os israelitas entenderam que estavam numa jornada em direção a uma terra que Deus lhes havia prometido, um “lugar de descanso”, onde estariam a salvo dos inimigos e onde viveriam com Deus (Deuteronômio 12:10). Todos os sábados, eles deviam parar de trabalhar – as atividades cotidianas que alimentavam e vestiam as pessoas – para aguardar o descanso prometido e confiar na provisão presente de Deus.

Durante a época do Novo Testamento, no entanto, os fariseus e os mestres da lei tinham mal interpretado a essência do verdadeiro descanso. Eles reduziram o descanso a uma miríade de proibições que baseavam-se em seus próprios padrões de justiça em vez de confiar em Deus. Ainda assim, Jesus faz Sua reivindicação como Senhor do sábado e anuncia a chegada de “algo maior que o templo” (Mateus 12:6-8). Deus agora estava vivendo entre a humanidade em carne e osso!

Jesus, o Senhor do descanso, nos chama a parar de procurar significado em nossa própria suficiência ou em falsos padrões de segurança. Em vez disso, Ele nos oferece descanso para nossas almas (Mateus 11:28-30). O verdadeiro descanso é sobre onde colocamos nossa confiança no dia a dia. Em última análise, o verdadeiro descanso não é nada menos do que o descanso eterno da salvação.

Hebreus 4:3 deixa isso claro: “Pois nós, os que cremos, entramos em seu descanso…” – o descanso do qual Deus havia falado a Israel. Para nós, hoje, o caminho para o descanso eterno é acreditar que Jesus pagou pelos nossos pecados na cruz. Seu fardo é leve porque Ele carrega tudo; não há nada que possamos contribuir para a nossa salvação.

O verdadeiro descanso é sobre onde colocamos nossa confiança no dia a dia.

Como cristãos, provavelmente sabemos de tudo isso, mas talvez não tenhamos conectado isso à maneira como descansamos. Quantas vezes, por exemplo, nosso descanso é realmente sobre lembrar e confiar no poder salvador e sustentador de Deus, e nos regozijar em Sua presença? Como seria o descanso se tivéssemos a intenção de passar tempo com Deus?

À medida que começo a repensar meus próprios dias de descanso, não necessariamente descartaria viagens, exercícios, amigos ou Netflix – gostamos de coisas boas com um coração de ação de graças. Talvez eu me proteja contra a exaustão física e mental planejando um tempo de recuperação após umas férias de aventura ou relaxando ao som de uma música leve em vez de conferir meus canais favoritos do YouTube antes de dormir.

Porém, mais do que isso, eu gostaria de recarregar as energias com as coisas que realmente nutrem minha alma e me firmam na paz de Deus:

Lendo e lembrando a Palavra de Deus – “A lei do SENHOR é perfeita e revigora a alma” (Salmo 19:7);

Falando com Deus – “…Perto está o Senhor. Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, e com ação de graças, apresentem seus pedidos a Deus. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o coração e a mente de vocês em Cristo Jesus” (Filipenses 4:5-7);

Confessar os pecados e pedir perdão – “ Arrependam-se, pois, e voltem-se para Deus, para que os seus pecados sejam cancelados, para que venham tempos de descanso da parte do Senhor” (Atos 3:19-20);

Louvando e agradecendo a Deus – “Eu, porém, confio em teu amor; o meu coração exulta em tua salvação. Quero cantar ao SENHOR pelo bem que me tem feito” (Salmo 13:5-6);

Ter comunhão que fortalece nossa fé – “Por isso tudo fomos revigorados.

Além de encorajados, ficamos mais contentes ainda ao ver como Tito estava alegre, porque seu espírito recebeu refrigério de todos vocês” (2 Coríntios 7:13).

Não é coincidência, a propósito, que a igreja deva tratar de todas essas coisas. Talvez possamos priorizar nossos encontros semanais e nos encontrarmos verdadeira e mutuamente atualizados lá!

Por último, embora o descanso seja mais do que físico, não é menos do que isso. Somos almas encarnadas e, portanto, a exaustão física ou problemas de saúde podem afetar nosso bem-estar mental e espiritual. Não quero minimizar o papel de Satanás ou do pecado quando respondemos com falta de consideração ou amor, mas não descansar o suficiente contribui para atitudes e comportamentos que não agradam a Deus: temperamento irritadiço, impaciência, decisão precipitada, impulsividade, egoísmo e assim por diante.

Esses cenários, por exemplo, me mostram que preciso desesperadamente de mais sono: quando sou uma pessoa diferente (e pior) antes da minha bebida cafeinada matinal, quando sou mantido acordado por pensamentos ansiosos, quando desejo freneticamente um 48 – hora do dia apenas para fazer mais coisas, quando o estresse me deixa mais propenso a raiva ou julgamentos precipitados, quando me sinto mal-humorado se alguém pede meu tempo…

De fato, no final de um dia de trabalho diligente, recusar-se a parar e ir para a cama pode revelar que, no fundo, não confiamos realmente que Deus esteja no controle. Podemos estar inconscientemente buscando segurança em nossas listas de tarefas, propósito em nossa produtividade, refrigério em nosso entretenimento ou sustento em nossos hits de cafeína. A longo prazo, nenhuma dessas coisas nos trará o descanso que nossos corpos e cérebros precisam. O Deus que nos projetou para um dia de 24 horas sabe o que está fazendo, para que possamos ter certeza e acordar revigorados para o dia seguinte.

Amigos, o que vocês farão de diferente no seu descanso? Desejo-lhe tempos de sonhos refrescantes e agradáveis. Nas palavras do salmista: “Em paz me deito e logo adormeço,

pois só tu, SENHOR, me fazes viver em segurança” (Salmo 4:8).

Podemos estar inconscientemente buscando segurança em nossas listas de tarefas, propósito em nossa produtividade, refrigério em nosso entretenimento ou sustento em nossos hits de cafeína.

Originalmente publicado no @ymi_today, que faz parte de Ministérios Pão Diário, em inglês. Traduzido e republicado com permissão. Ilustração por @afterprovidence.