Gregório nasceu em uma família piedosa, de considerável influência em Roma. Após a morte de seu pai, ele passou a estabelecer sete mosteiros, de um dos quais se tornou abade. Gregório não pôde ficar durante muito tempo: o papa o chamou para ser um dos “sete diáconos de Roma e, subsequentemente, o enviou a Constantinopla para ser um representante na corte imperial. No ano 590, após a morte do papa, foi chamado para ocupar o lugar daquele. Gregório se autodenominou “servo dos servos de Deus, título que todos os papas usam desde então. Seus escritos mais importantes são Regra pastoral, um manual para bispos; numerosos ensinamentos, cartas, diálogos e Exposition of Job (Exposição sobre Jó).

Leia agora um de seus devocionais:

Eu sou a videira, vós, os ramos. Quem permanece em mim, e eu, nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer.

João 15:5

Nosso Cabeça, que é Cristo, desejou que fôssemos Seus membros. Como resultado, pelo vínculo de amor e fé, Ele nos torna um só corpo em si mesmo. É adequado devotarmos nosso coração a Cristo, porque sem Ele nada podemos ser. Porém, por meio dele podemos ser o que somos chamados a ser. Que nada nos separe do nosso Cabeça bem estabelecido, para que não aconteça de, recusando-nos a ser Seus membros, ficarmos separados dele e murcharmos como ramos caídos da videira. Portanto, para sermos considerados morada digna do nosso Redentor, precisamos permanecer em Seu amor de maneira totalmente resoluta, porque Ele mesmo diz: “Se alguém me ama, guardará a minha palavra; e meu Pai o amará, e viremos para ele e faremos nele morada”. Porém, não poderemos permanecer junto ao Autor do bem se não eliminarmos a cobiça, pois ela é a raiz de todo mal… Portanto, eliminemos a ganância do templo da fé, porque ela só serve a ídolos. Então, não enfrentaremos coisas prejudiciais ou irregulares enquanto estivermos na casa do Senhor.

Que nada nos separe do nosso Cabeça bem estabelecido.

Gostou? Garanta já seu exemplar!

Google Play
Apple Books
Amazon Kindle
Livro Físico