Biblioteca de Spurgeon

Seleções entre mais de 6 mil volumes remanescentes da biblioteca de Spurgeon

Sendo um leitor voraz, Charles H. Spurgeon extraía daqueles que o antecederam e de seus contemporâneos o melhor para enriquecer sua pregação, os livros que ele mesmo escreveu e seu ministério.

Os livros da coleção Seleções da Biblioteca de Spurgeon são resultantes de um grande esforço em equipe para selecionar, entre os 6 mil volumes remanescentes do acervo desse grande pregador do século 19, textos que pudessem contribuir para a edificação do cristão contemporâneo.

Certa biografia de Spurgeon afirma que ele lia seis livros por semana. Isso equivale a 312 livros por ano! Sua biblioteca, à época de sua morte, contava com 12 mil volumes. 

“Como foi dito, pode-se dizer muito sobre uma pessoa pelos livros que ela lê e os amigos que mantém. Para Spurgeon, os livros que ele leu, escritos por grandes cristãos — começando quando ainda era um menino no escritório de seu avô —, formaram-no teologicamente e o moldaram espiritualmente. Em particular, as palavras coletadas neste livro tornaram-se poderosos afluentes que correram para a vida e mente de Charles Spurgeon.” —JASON ALLEN

 

Em Sofrimento, trazemos para você algumas pérolas das literaturas de Spurgeon. Estes textos o apresentarão a novos autores, bem como a nomes mais conhecidos como John Owen e John Willison, entre outros. Além disso, você terá acesso a um conteúdo rico que desejará ler de forma lenta e reflexiva, pois ele o conduzirá à enriquecedora e encorajadora meditação sobre este tema ainda tão pouco compreendido: o sofrimento na vida do cristão.

 

Oração é fruto de uma pesquisa em mais de 6.000 volumes encontrados na biblioteca pessoal de Spurgeon. Ela tem por objetivo colocar em suas mãos uma coleção desses artigos e sermões sobre a oração, uma disciplina cristã muitas vezes menosprezada e incompreendida. Seus autores são grandes homens de Deus do passado. Eles abordam temáticas como o privilégio de orar, como imitarmos Cristo em oração e nosso dever de orar sem cessar. Certamente elas enriquecerão a vida do leitor e o ajudarão a crescer em sua fé e em sua experiência com o verdadeiro poder da oração.

Charles H. Spurgeon

Spurgeon buscava um relacionamento genuíno com Cristo. Por isso, dos 14 aos 16 anos, passou por uma crise a respeito de sua salvação. A convicção de pecado perturbava sua alma. Após sua conversão, foi batizado e começou a distribuir panfletos e a ensinar crianças na Escola Dominical em Newmarket.

Charles H. Spurgeon

Spurgeon buscava um relacionamento genuíno com Cristo. Por isso, dos 14 aos 16 anos, passou por uma crise a respeito de sua salvação. A convicção de pecado perturbava sua alma. Após sua conversão, foi batizado e começou a distribuir panfletos e a ensinar crianças na Escola Dominical em Newmarket.