Quando olhamos para a vida de Jesus, vemos que Ele teve muitas interações radicais com pessoas marginalizadas – aquelas que caíram à margem da sociedade por causa do pecado, vergonha, julgamento ou até mesmo defeito físico e doença.

Mas ao olharmos para esses encontros mais de perto, começaremos a ver que Jesus não está apenas se encontrando com os marginalizados. Ele também tem uma mensagem para nós.

Uma mulher pecadora se aproximou de Jesus, lavando Seus pés com lágrimas e óleo perfumado. Simão, o fariseu, olhou e criticou Jesus por se associar com “este tipo de mulher” (v.39).

Mas Jesus responde à crítica de Simão com uma parábola que defende o ato da mulher como uma demonstração de grande amor por seu Salvador, que a havia perdoado muito.

As últimas palavras de Jesus para a mulher foram: “Seus pecados estão perdoados.” 

Nesta história, testemunhamos a extensão do perdão abundante de Jesus e como Ele permite que pecadores – assim como nós – tenham um relacionamento com Ele!

Os espectadores zombaram quando Jesus pediu para ficar na casa de Zaqueu porque ele era cobrador de impostos – uma posição que veio com a reputação de trair outros judeus, cobrar impostos e sua desonestidade por causa do ganho financeiro pessoal.

Mas quando Zaqueu acolheu alegremente a Jesus, em vez de permanecer em seus caminhos pecaminosos, ele imediatamente declarou que daria metade de seus bens aos pobres e devolveria quatro vezes o que havia roubado de qualquer um (v.8).

Quando Zaqueu encontrou o perdão de Jesus, isso o obrigou a se reconciliar com aqueles a quem havia ofendido.

Que nosso encontro com o perdão de Jesus nos inspire a fazer o mesmo!

Enquanto comia na casa de um líder e mestre proeminente, Jesus apresentou um desafio ao seu anfitrião.

Ele diz que, em vez de convidar amigos, familiares ou vizinhos ricos, ao oferecer um jantar, devia convidar aqueles que não têm como retribuir sua generosidade – os pobres, aleijados, coxos e cegos.

Aqui, Jesus nos lembra de amar e servir aos outros. Mesmo que eles não retribuam, seremos abençoados (v.14).

Enquanto espera por Seus discípulos em um poço fora de uma cidade samaritana, Jesus faz uma escolha surpreendente ao falar com uma mulher samaritana imoral – alguém com pelo menos três erros sociais que a deixavam à margem.

E Ele revela Sua identidade como o tão esperado Messias para ela! A mulher corre de volta para sua cidade e conta aos outros sobre seu encontro com o Messias (v.29).

Como resultado do seu relato, muitos na cidade acreditam em Jesus. À medida que lemos esta história, somos lembrados de que Deus muitas vezes trabalha por meio do improvável para compartilhar as boas-novas de Jesus!

Os discípulos de Jesus veem um homem cego e perguntam a Jesus se foram seus pais ou o próprio pecado que o tornaram cego.

Jesus os surpreendeu ao dizer que o homem não era cego por causa de algum pecado que ele ou seus pais tivessem cometido, mas ele era cego para que “as obras de Deus se manifestassem nele” (v.3).

Embora seja comum olhar para as dificuldades e tentar identificar seu motivo, muitas vezes é simplesmente pelo quebrantamento deste mundo.

Mas somos encorajados a perceber que Deus não é limitado por circunstâncias difíceis – Suas obras podem ser demonstradas mesmo em meio a dificuldades!

Originalmente publicado no @ymi_today, que faz parte de Ministérios Pão Diário, em inglês. Traduzido e republicado com permissão.