Vivemos em um mundo com muitas vozes, vindas de muitos lugares, de fontes distintas, nem todas boas. Por vezes, o mundo grita e nossa carne também. Em muitas situações, as vozes são sutis, e nem sempre é fácil discernir se aquela mensagem é tão negativa ou danosa assim, e pior, algumas são boas, mas nem tudo que é bom o é para nossa vida, e o certo para aquele momento.

Mas, como Jesus, temos uma boa escolha para fazer a cada novo dia: ouvir a voz do bom Pastor! Diferentemente do mundo, Ele não grita, não é invasivo e não é confuso ou mentiroso, mas é verdadeiro, justo e sussurra com amor, leveza e profundidade ao nosso coração, ou nos adverte com graça. A cada manhã, antes de ouvirmos qualquer outra coisa, podemos abrir nossos ouvidos espirituais e conversar com o próprio Deus. Nós falamos, Ele nos ouve. Nós nos aquietamos, e Ele fala.

A figura de um pastor de ovelhas é popular na cultura judaica, e também nos ambientes campestres. O pastor alimenta, protege e guia o rebanho, e sem ele as ovelhas se tornam presas fáceis para os devoradores. As ovelhas são animais dóceis e se tornam ainda mais vulneráveis devido à limitação em sua visão; por esse fato são orientadas pela voz inconfundível de seu pastor. Jesus diz: “As minhas ovelhas ouvem a minha voz; eu as conheço, e elas me seguem” (João 10:27). O pastor não vai atrás do rebanho, mas à frente – dando os comandos, que são prontamente ouvidos e seguidos. Para preservar a integridade de suas ovelhas, um bom pastor coloca sua vida em risco, e a entrega, se for preciso, visando o bem-estar do rebanho. No Antigo Testamento, um jovem pastor chamado Davi lutou com um leão e um urso para livrar suas ovelhas. Jesus foi além: deu Sua própria vida, enfrentando as forças do inferno para nos salvar.

O Senhor é o meu pastor, isto é, um pastor pessoal que caminha à nossa frente, e nós seguimos os Seus passos, ouvindo o som da Sua voz, pois onde Ele caminhar estaremos seguros e livres de locais escorregadios onde podemos vacilar. As ovelhas feridas, Ele traz ao colo, as trata e coloca novamente no rebanho. Neste dia, não dê ouvidos a tantas vozes que tentam confundi-lo. Volte seus ouvidos ao Bom Pastor porque dele virá o direcionamento, descanse em Seus braços e sinta a proteção do aprisco, pois Ele estará sempre à porta zelando por sua vida.

Ao ler esse versículo, minha mente me leva a esta linda paisagem: imensos campos que os olhos perdem de vista, com viçosas gramíneas verdejantes que, de tão fofas, dá vontade de deitar e ficar olhando o céu azul sentindo uma suave brisa lambiscar o rosto. Uau! Você também consegue sentir isso? Ao fechar os olhos, dá para ouvir uma leve correnteza de águas límpidas, transparentes e frescas que podem ser acessadas a qualquer momento que a boca estiver seca, ou até mesmo para um mergulho relaxante. Quem não gostaria de ter um lugar assim para poder, de vez em quando, reabastecer a alma? Como é bom usar a imaginação para fugir até um lugar de descanso numa rotina tão desgastante. Mas o que Deus tem a nos oferecer não é uma mera ilusão criada pela nossa mente; Ele próprio é nosso descanso e é muito superior a qualquer tentativa de imaginar um lugar perfeito para descansar.

Quais são as suas pressões sufocantes? Qual o nível do seu cansaço? Trabalho, família, finanças, cobranças, metas, relatórios, clientes, noites mal dormidas. Muitas coisas acabam nos sufocando e tiram de nós a capacidade de encontrar em Deus o descanso. Hoje, mesmo em meio aos seus afazeres, descanse em Deus, sinta a grama verde debaixo dos seus pés e a canção das águas correndo no leito do rio. Esse é o cuidado do Senhor, um lugar de descanso para sua alma.

Quando fazemos uma longa viagem, algumas paradas são necessárias para esticar as pernas. Por mais que as lindas paisagens nos entretenham e a música nos embale, as horas dentro do veículo são desgastantes. Nosso corpo se cansa e clama por uma parada, ainda que breve. Alguns minutos ajudam a nos recompor e voltamos revigorados para terminar a jornada. Deus é o Senhor da nossa estrada. Quando estamos firmados nele, trilhamos uma trajetória reta diante dos homens, pois Seu caminho é justo e nele não existem atalhos. Por mais que seja recompensador, nos cansamos na jornada com Cristo e sentimos o peso de sermos Seus discípulos. Ele reacende a alma apagada, limpa a alma suja e fortalece a alma que fraqueja.

Será que no dia de hoje não é necessário dar uma parada? Deus traz o refrigério para sua alma e gera vigor para você continuar na estrada. Se está difícil continuar, deixe o Senhor acalentar seu coração. Pare! Respire! “Estique as pernas”. Sempre que necessário, revise sua vida, pois a maneira que você conduz a sua existência pode trazer jugo ou suavizar a caminhada. Sinta-se renovado pelo novo fôlego de Deus e não se distancie do caminho de justiça traçado pelo Criador. Ele é refúgio, inspiração, fôlego e refrigério para sua alma.

É notável a coragem de uma criança acompanhada de seu pai. As ameaças ao redor se desfazem quando ela segura as mãos daquele que nunca a abandonará. O sentimento que invade o coração infantil é de que “nada vai me acontecer, porque meu pai me protege de tudo que é perigoso”, por isso não há nada a temer. Conforme 1 Coríntios 15:26, “O último inimigo a ser destruído é a morte” e talvez por isso seja um dos mais temidos. Mas aqueles que aceitaram Jesus já passaram da morte para a vida eterna, e por isso não precisam mais temer este inimigo que tanto assusta a humanidade. Se o mais terrível dos medos não nos causa mais espanto, não devemos temer coisa alguma. A vara e o cajado do Senhor nos servem de consolo, pois são instrumentos pastoris que servem tanto para correção como defesa, e ambos nos livram da morte. Quando somos corrigidos com a vara, voltamos para a vontade de Deus e evitamos a morte; quando somos defendidos com o cajado, aquele que queria ceifar nossa vida é afugentado pela autoridade do Bom Pastor.

Neste dia, caminhe segurando nas mãos do bondoso Pai e todos os temores serão dissipados, nenhuma sombra será capaz de atemorizar sua alma. Sujeite-se à vara e ao cajado, esteja debaixo da correção e defesa do Pastor eterno e seja liberto de todo medo que assola o seu coração. Não existe nada a temer enquanto o Todo-poderoso estiver ao seu lado.

Banquetes são símbolos de honrarias. Ser convidado para um banquete é um privilégio para poucos. O Senhor nos convida à mesa onde uma plateia se alvoroça ao redor sem nada poder fazer. O inimigo da nossa alma intenta contra nós com palavras de difamação e dardos inflamados. Ao sermos fiéis a Deus temos inimigos, pois Jesus alertou dizendo que o mundo nos odiaria, porque antes a Ele odiaram (JOÃO 15:18). Ao nos sentamos à mesa, não estamos em posição de combate; poderia ser uma ameaça degustar um banquete com os inimigos em torno da mesa vociferando, prontos para o ataque. Mas desfrutamos tranquilos sem nada nos alcançar, porque conosco nesse banquete está o Eterno que nos honra diante de todos os presentes. Ele derrama sobre nós a unção fresca numa medida maior do que podemos suportar, por isso transbordamos.

Hoje é dia de celebrar com honrarias as benevolências do Criador. Talvez você ainda não tenha se dado conta, ou se sinta deixado de lado dessa grande festividade. Não é verdade. O próprio Deus o convida para se achegar a uma mesa posta com iguarias do Céu para o seu deleite. Sente-se à mesa, reconforte-se junto ao Anfitrião desse banquete e não dê ouvidos aos ferozes acusadores que nada podem fazer, a não ser assistir a sua vida transbordando de alegria, paz e bênçãos sem fim.

Muitos que utilizam as redes sociais estão repletos de seguidores, mas que nem ao menos conhecem boa parte delas. São seguidores aleatórios que se avolumam e inflam o ego daqueles que se sentem populares apenas por tê-los em seu feed. A Palavra de Deus nos afirma que, quando temos o Senhor como nosso pastor, além de desfrutar de todo cuidado, descanso e proteção, também agregamos seguidores que nos acompanharão todos os dias de nossa vida. A bondade e a misericórdia do Senhor se tornam seguidoras daqueles que amam a Deus e vivem de acordo com Sua vontade. Todos os dias somos tratados com bondade pelo Pai e, ainda que sejamos maus, nossa maldade não altera Sua natureza perfeitamente boa. Ele nos abençoa porque é bom, dá-nos habitação eterna em Sua casa porque Ele é bom. Da mesma forma a misericórdia do Senhor é dispensada sobre a nossa vida diariamente, e é por ela que podemos nos achegar a um Deus tão puro, mesmo que sejamos falhos. A prova disso é que em Lamentações 3:22 diz: “As misericórdias do SENHOR são a causa de não sermos consumidos porque as suas misericórdias não têm fim…” (ARA).

Podemos ter inúmeros seguidores nas redes sociais, mas nada se compara a sermos seguidos pela bondade e misericórdia de Deus. Elas não o fazem para bisbilhotar nossas postagens, mas para serem agentes de conexão entre nós e o Pai Eterno. Agradeça pela misericórdia do Senhor, pois ela nos dá acesso à Sua santidade, e desfrute de cada expressão da bondade de Deus que pode vir revestida de simples gestos de cuidado.

O Senhor é meu Pastor

Artigo retirado de trechos do livro

O Senhor é meu Pastor

Artigo retirado de trechos do livro