A vida espiritual em uma cultura secular: o conflito de culturas

O impacto originado pelas diferenças da fé

O papel da fé pessoal em uma cultura seccionada é inevitável. Sobre isso, o autor Os Guinness escreveu o seguinte em seu livro O chamado: “No mundo de hoje, é notório que as diferenças podem fazer a diferença. As crenças têm consequências” (Ed. Cultura Cristã, 2001).

O que principia como concepções de Deus teoricamente diferentes: o mundo, a justiça, a humanidade e a liberdade, acabam sendo maneiras radicalmente divergentes de viver e de morrer.


No passado, algumas pessoas de fé afastaram-se da sociedade para comunidades isoladas, separadas da agitação cultural. Outros se organizaram em grupos de ações políticas. Ainda outros se descobriram destinados a mostrar que, nas mãos de Deus, uma vida pode provocar mudanças — mesmo sem a garantia de direitos civis, ainda que cercada por uma cultura estranha.

 

A influência de uma vida


Por volta de 600 a.C., Daniel viu sua nação assolada e sua vida desarraigada. Com um grupo de outros reféns judeus, ele foi levado cativo a um lugar chamado Babilônia — uma cultura estrangeira, centenas de quilômetros distante da relativa estabilidade de Jerusalém. Na região que hoje chamamos de Iraque, Daniel experimentou o desafio de exercer a sua fé em uma cultura dedicada a um conjunto de valores e prioridades muito diferentes dos seus.


Ao entrarem nesse novo mundo, Daniel e seus amigos expressaram convicções que estavam fadadas a colocá-los em desacordo com seus poderosos captores. No entanto, em meio ao mundo pagão, Daniel tornou-se:


• líder governamental, nomeado para servir em posições de responsabilidade, em três reinados;
• historiador, registrando o que Deus fizera em seus dias;
• profeta, ocupado em predizer o futuro e falar a verdade aos líderes.
No desenrolar do drama bíblico, Daniel é um estudo de caso sobre a fé pessoal vivenciada em uma cultura hostil.

 

Guia de estudo

O CONFLITO DE CULTURAS
Para entender como as diferenças culturais afetam a vida secular e a vida espiritual, e como uma única pessoa pode fazer a diferença.

 

PARA MEMORIZAR
João 17.15

 

PENSE A RESPEITO
1. Examine o texto a seguir e discuta o que isso quer dizer realmente: “Não amem este mundo, nem as coisas que ele oferece, pois, quando amam o mundo, o amor do Pai não está em vocês” (1Jo 2.15).

 

APROFUNDAMENTO 

Leia João 17.12-17.
1. O que significa Jesus dizer que as pessoas “não são do mundo” (v.14)?
2. A solução apresentada por Jesus ao problema dos conflitos seculares não é tirar os cristãos do mundo. O que Ele afirma que os ajudará (v.15)?
3. Que recurso ajudará os que estão no mundo a não serem derrotados (v.17)?

 

APLICAÇÃO

1. Quando você observa os atuais conflitos culturais com o cristianismo, qual considera ser o maior deles e que requer mais atenção por parte dos que creem?
2. À medida que refletimos sobre tais conflitos, de que forma, sob o seu ponto de vista, a história de Daniel traz uma promessa de esperança para nós?

Trecho retirado do guia de estudos da Bíblia de estudos da mulher.