Vou lhe contar um grande segredo: os cristãos, que deveriam ser plenamente satisfeitos em Jesus, frequentemente ainda abrigam um vazio ou necessidade inidentificáveis. Nossa indisposição de sermos sinceras com relação à nossa falta de satisfação na vida cristã nos impede de fazer as perguntas certas: Por que penso que a vida cristã é insuficiente? Como posso me sentir mais satisfeita? Pelo fato de não fazermos perguntas dentro do círculo de cristãos, o inimigo nos tenta a procurar respostas fora de Deus.

Lembre-se de que encontrar satisfação em Deus é um dos cinco benefícios de nosso relacionamento de aliança com Cristo. Encontrar satisfação e plenitude em Cristo nunca deveria ser um tesouro escondido que somente alguns poderiam encontrar. Satisfação é uma consequência agraciada de nosso relacionamento com Deus e é destinada a todos os que creem. Pedro expressou claramente a intenção divina: “Deus, com seu poder divino, nos concede tudo de que necessitamos para uma vida de devoção, pelo conhecimento completo daquele que nos chamou para si por meio de sua glória e excelência” (2 Pedro 1:3). 

Vamos nos concentrar no básico. João 4:24 nos diz que a essência de Deus ou Seu estado de existência é ser espírito. Não fique com a ideia de que a palavra espírito sugere invisível. Deus definitivamente tem uma forma visível, embora gloriosa e indescritível; mas nós atualmente não temos olhos que possam contemplar o mundo espiritual. Tão certo quanto Deus é espírito, Ele é amor (1 João 4:16). O amor não é apenas algo que Deus faz; o amor é algo que Ele é. 

Deus teria que deixar de ser para deixar de amar. Novamente, nossa tentativa é de humanizar o Senhor, pois somos limitadas a compreender o amor como um verbo. Com Deus, o amor é primeiro um substantivo. É o que e quem Ele é. 

Somos inteiradas, por meio de 1 João 4:13-15 e Romanos 8:9, que, na forma do Espírito Santo, Deus reside na vida de todos que recebem Seu Filho, Jesus, como Salvador. Deus não pode deixar de ser amor tanto quanto não pode deixar de ser espírito; portanto, quando o Espírito de Deus passa a habitar em nossa vida, o amor de Deus o acompanha. Lembre-se desta promessa: “…onde está o Espírito do Senhor, ali há liberdade” (2 Coríntios 3:17).

Percebe como tudo se encaixa? Onde quer que Deus seja bem-vindo, Seu Espírito é liberado. Onde quer que o Espírito seja liberado, o amor também o é. E onde quer que você encontre o amoroso Espírito do Senhor, lá encontra liberdade. Como o Espírito de Deus é liberado? Por meio da confissão ou concordância com a Sua Palavra.  

Meu ponto é este: somente os lugares onde permitirmos que o amor de Deus adentre serão plenamente satisfeitos e, portanto, libertos. Nada expressa melhor essa verdade do que as palavras divinamente inspiradas do apóstolo Paulo: “Por essa razão, ajoelho-me diante do Pai, do qual recebe o nome toda a família nos céus e na terra. Oro para que, com as suas gloriosas riquezas, ele os fortaleça no íntimo do seu ser com poder, por meio do seu Espírito, para que Cristo habite no coração de vocês mediante a fé; e oro para que, estando arraigados e alicerçados em amor, vocês possam, juntamente com todos os santos, compreender a largura, o comprimento, a altura e a profundidade, e conhecer o amor de Cristo que excede todo conhecimento, para que vocês sejam cheios de toda a plenitude de Deus. Àquele que é capaz de fazer infinitamente mais do que tudo o que pedimos ou pensamos, de acordo com o seu poder que atua em nós, a ele seja a glória na igreja e em Cristo Jesus, por todas as gerações, para todo o sempre! Amém!” —EFÉSIOS 3:14-21 (NVI)

LIVRE!

Artigo retirado de trechos do livro

LIVRE!

Artigo retirado de trechos do livro